Da fome a implosão

Encanto é preciso

Do choro ao riso

A paixão ou o suplício

Do sim para o chão

De boca aguerrida

Com fala imprecisa

A pele implodida

Mascara o vulcão

Que queima por dentro

Ou arde em tormento

Que quer sem alento

A mesma sofreguidão

A fome de outrota

Que dá sem demora

Que Impiedosa devora

Os rastros da lassidão

(JMC. 30/01/2013)

 

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s